Pontualidade na escola

Postado em 25/11/2017

Pontualidade na escola

Por: Danielle Zebini

Trânsito, pequenos incidentes domésticos, despertador que não toca... Para os pais, não faltam desculpas na hora de justificar a falta de pontualidade. Claro que todo mundo está sujeito a um imprevisto, mas atrasos recorrentes dos filhos na escola podem se tornar um problema sério na vida das crianças e dos adolescentes. E o papel dos pais é dar o bom exemplo. "Uma ação vale mais que mil palavras. Se os pais não conseguem ser pontuais, essa falta de pontualidade, inevitavelmente, acabará refletindo no comportamento das crianças", alerta Francisco Aparecido Cordão, conselheiro da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação.

A psicopedagoga Marcia Zebini concorda. "Os pais serão sempre aqueles que têm a missão de educar para a autonomia, para a vida adulta. Pais que desde cedo têm uma conduta de educar pelo exemplo - em todos os sentidos, mas mais especificamente em relação à pontualidade - não têm problemas quanto à frequência dos filhos adolescentes no dia a dia escolar", afirma.

A pontualidade deve ser regra desde a pré-escola. "Chegar no horário, ou com uns 15 minutos de antecedência, é importante por várias razões. A principal delas é a contribuição para a formação de um indivíduo capaz de respeitar regras e normas e conviver de forma adequada em sociedade", diz a psicopedagoga Marcia Zebini. "A criança aprende na prática os benefícios de assistir uma aula desde o princípio, sem interferir negativamente na vida dos colegas e do professor - sem interromper uma explicação e desviar a atenção das crianças que respeitaram a regra da pontualidade", acrescenta.

Fonte: Educar para Crescer

 

Outras Notícias

 

Educação inclusiva: desafios da formação e da atuação em sala de aula
Postado em 17/04/2018

Além de aprender a adaptar o planejamento e os procedimentos de ensino, é preciso que os educadores olhem para as competências dos alunos, e não apenas para suas limitações. Daniela Alonso, psicopedagoga especialista em Educa&c...
leia mais »

Um bom começo
Postado em 10/04/2018

Bebês não têm autonomia e precisam de cuidados constantes, certo? Errado. Essa visão de que a criança de 0 a 2 anos é um ser passivo, ainda não preparado para a aprendizagem, é coisa do passado, como explica a prof...
leia mais »

O que fazer com os filhos nas férias?
Postado em 02/04/2018

Ele pode continuar aprendendo longe da escola e, o que é mais importante, estreitar laços afetivos que ficam um pouco esquecidos na correria do período letivo.

As férias se aproximam e os pais já começam a se desesperar: o que fazer com tanto te...
leia mais »