Comportamento negativo dos pais aumenta risco de a criança se envolver com bullying

Postado em 24/03/2018

Comportamento negativo dos pais aumenta risco de a criança se envolver com bullying

Pesquisadores da Universidade de Warwick, nos Estados Unidos, analisaram informações coletadas por 70 estudos diferentes, de 1970 a 2012, envolvendo mais de 200 mil crianças, para comprovar, mais uma vez, que o comportamento dos pais tem influência direta nas atitudes dos filhos – e que isso pode acontecer para o bem ou para o mal.

Para elaborar a análise, os profissionais dividiram o comportamento dos adultos em duas categorias distintas: o positivo (que incluiu características como autoridade, comunicação, envolvimento, apoio, supervisão e afeição) e o negativo (como abusos, negligência e superproteção). Em seguida, compararam todos os dados das famílias, chegando à conclusão de que o comportamento negativo dos pais aumenta o risco de a criança sofrer e também praticar bullying.

“As pessoas normalmente assumem que o bullying é um problema das escolas, mas este estudo deixa claro que os pais têm um papel muito importante na questão”, afirmou, em nota, o professor Dieter Wolke, um dos autores do texto. “É vital que todos entendam isso para que sejam feitos programas de intervenção não só nas instituições de ensino, mas também dentro das casas dessas famílias, encorajando as práticas positivas”, completou.

O professor explicou ainda porque a superproteção foi incluída na lista de comportamentos negativos. De acordo com ele, as crianças precisam de apoio, mas não podem ser banidas de todas as experiências negativas. “Quando fazem isso, os pais não deixam os filhos aprenderem quais são as melhores maneiras de lidar com seus problemas e fazem com que eles se tornem mais vulneráveis”, disse.

 

 

Outras Notícias

 

Inclusão: Síndrome de Down
Postado em 19/06/2018

O filme brasileiro Colegas, de Marcelo Galvão, que narra a viagem de três jovens com Síndrome de Down em busca de seus sonhos chegou ao cinema. A história é inspiradora e, mais que isso, mostra como o indivíduo com deficiência intelectual pode, sim, ...
leia mais »

Seu filho não obedece? 9 dicas para mudar isto
Postado em 12/06/2018

Se a criança tem até 7 anos de idade, especialistas garantem que é possível estimulá-la com mais facilidade a obedecer

 “Tudo o que eu peço, ela faz o contrário. Às vezes, perco a cabeça”, conta a cabeleirei...
leia mais »

O medo nas crianças e bebês
Postado em 05/06/2018

Os medos são sentimentos totalmente normais nas crianças e bebês.

A criança tem medo.

Se seu filho sofre por algum medo, é muito importante que lhe transmita tranquilidade, segurança, e o ajude a superar seus medos com muito carinho e c...
leia mais »