A Criança que morde

Postado em 21/10/2017

A Criança que morde

Uma criança morde pode estar sofrendo algum problema emocional

Quando uma criança morde, pode ser um sinal de que esteja sofrendo algum problema emocional. Pode ser parte do desenvolvimento normal morder de vez em quando, mas o morder persistentemente é um sinal de que a criança tem problemas emocionais ou de comportamento.

Enquanto muitas crianças brigam ocasionalmente com outras ou lhes batem, a agressão física frequente e/ou severa pode significar que a criança tem sérios problemas emocionais ou de comportamento que requerem uma avaliação e intervenção profissional.

Quando as crianças mordem

O ato de brigar ou de morder de uma criança quando vai à escola pode se transformar num sério problema. Nesta idade as crianças têm muito contato com seus companheiros e espera-se que elas sejam capazes de fazer amigos e conviver bem com eles.

Muitas crianças começam a morder agressivamente durante os três primeiros anos de vida. O ato de morder pode ser uma maneira pela qual a criança esteja provando seu poder para chamar a atenção. Algumas crianças mordem porque se sentem infelizes, ansiosas, ou ciumentas, e outras, simplesmente para dizer 'estou aqui'.

Algumas vezes este ato, em crianças maiores, pode ser resultado de uma disciplina excessiva ou severa, ou por ter sido exposta à violência física. Os pais devem recordar que as crianças pequenas que estão perdendo dentes também podem morder. O ato de morder é a razão mais comum pela qual são expulsas das salas de aula.

O que fazer quando a criança morda

- Imediatamente diga-lhe: “NÃO”, em tom calmo, mas firme e com cara de desaprovação. Os maus hábitos devem ser cortados pela raiz.

- Cuide da pessoa que sofreu a mordida e a acolha. Se o seu filho tem mais de 3 anos de idade, chame-o para que te ajude a cuidado da pessoa machucada. Ele precisa conhecer as conseqüências dos seus atos.

- Evite que se estigmatize o seu filho como ‘a criança mordedora’.

- Ao bebê que começa a caminhar (1 a 2 anos), simplesmente o afaste do outro bebê que esteja tentando morder.

- À criança pequena (2 a 3 anos), diga-lhe: “Não é correto morder porque machuca as pessoas”.

- NÃO se deve, de nenhuma forma, MORDER A CRIANÇA para mostrar-lhe como se sente quando ela morde. Isso a ensinará que tenha um comportamento agressivo.

- Se deve ter paciência e persistência para educar as crianças que mordem. Elas não aprenderão de um dia para o outro. Os pais devem repetir e repetir que MORDER NAO É BOM.

- Se a criança persistir em morder aos outros, não a leve nos braços nem brinque com ela por uns 5 minutos, após ela ter mordido. Assim a ensinará que mordendo não te chamará a atenção.

Como evitar que a criança morda

Se o seu filho tem o costume de morder, é muito importante que o vigie. Se pode tomar algumas medidas para que as mordidas não cheguem a ser concluídas:

1- Anime o seu filho a conversar e falar com você, através de um jogo, de um desenho, de algum trabalho manual, etc.

2- Quando o seu filho estiver brincando com outra criança, esteja sempre atenta a ele. Vigie o seu comportamento e oriente a forma de brincar entre eles.

3- Ensine ao seu filho a compartilhar. Ele deve entender que ser amigo é também compartilhar.

4- Ensine ao seu filho a esperar. Evite situações que possam irritá-lo ou cansá-lo, com freqüência.

Outras Notícias

 

Educação inclusiva: desafios da formação e da atuação em sala de aula
Postado em 17/04/2018

Além de aprender a adaptar o planejamento e os procedimentos de ensino, é preciso que os educadores olhem para as competências dos alunos, e não apenas para suas limitações. Daniela Alonso, psicopedagoga especialista em Educa&c...
leia mais »

Um bom começo
Postado em 10/04/2018

Bebês não têm autonomia e precisam de cuidados constantes, certo? Errado. Essa visão de que a criança de 0 a 2 anos é um ser passivo, ainda não preparado para a aprendizagem, é coisa do passado, como explica a prof...
leia mais »

O que fazer com os filhos nas férias?
Postado em 02/04/2018

Ele pode continuar aprendendo longe da escola e, o que é mais importante, estreitar laços afetivos que ficam um pouco esquecidos na correria do período letivo.

As férias se aproximam e os pais já começam a se desesperar: o que fazer com tanto te...
leia mais »